16/08/2013

Leitor novo do velho blog

Este é o Matias. Ele é filho do meu tio Torero.

O Matias é bem pequeno.

De vez em quando, eu vou contar alguma coisa dele aqui.

Por Lelê às 18h36

22/01/2013

Mais um!

Saiu mais um livro do meu tio. Esse é bem diferente. Ele é todo cortado por dentro. E dá para ler de 1331 jeitos diferentes.

Por fora ele é assim:

 

E por dentro é assim:

   

 

Por Lelê às 12h21

19/06/2012

Livro novo do meu tio!

Por Lelê às 18h54

17/06/2012

Boliches doidos: o leleliche

O Henrique inventou este boliche aí de cima. Foi uma ideia bem legal. Eu também inventei um boliche diferente: a bola é um sol e os pinos são alienígenas. É um soliche. Quem quiser mandar uns desenhos, pode mandar que eu publico aqui.

 

Por Lelê às 15h51

22/05/2012

Livro novo!

O meu tio escreveu mais um livro, que é esse aqui:

Por Lelê às 08h36

06/10/2011

Convitinho para paulistanos

Por Lelê às 09h45

01/10/2011

Convitinho para santistas

Por Lelê às 10h56

30/08/2011

Branca de Neve no Facebook

Para quem gosta de facebook, tem uma amiga minha que fez um perfil lá. É a Branca de Neve. Ela é essa aqui:

Por Lelê às 11h14

03/08/2011

A Catarina comeu que nem a Pintada

Ontem a Catarina fez uma coisa engraçada. No meio do almoço, ela disse que ia comer que nem a Pintada, a nossa gata. Aí ela abriu um bocão...

 

 

E enfiou a boca no prato!

 

Depois, como ela tinha achado aquilo muito legal, pediu para todo mundo bater palmas.

Por Lelê às 10h45

16/07/2011

As escadas doidas da casa de Escher

Aqui de Tralfamador, com minha luneta hipersuperpossante, deu para ver uma exposição que está em São Paulo e acaba amanhã, domingo.

Ela acontece no porão do Centro Cultural Banco do Brasil, das 9h00 até as 20h00. O CCBB fica no centro da cidade, mas eu não sei o nome da rua e no site deles é difícil de achar. 
 
A exposição é de um cara chamado Escher, e ele fez uns quadros bem doidos, em que as escadas sobem e descem ao mesmo tempo, tipo esse:



Também tem um vídeo (em 3D), onde explicam uns desenhos dele, e o mais legal é a "casa mágica", que faz as coisas ficarem maiores e menores, e a gente pode entrar dentro dela.

Por Lelê às 09h52

14/07/2011

Três filmes que dão sete

Este fim de semana eu vi três filmes aqui no Cinespacial, no planeta G-14.

O primeiro foi o "Carros 2". Eu achei bem legal. Até melhor que o 1.

 

O diretor do filme é um tal de John Lasseter, o mesmo do Toy Story, que eu achei um filme muito bom, um dos mais legais que eu vi até hoje.

No carros 2 tem um monte de corridas e o Relâmpago McQueen nem é o personagem principal, porque os bacanas do filme são o Mate (aquele guincho enferrujado) e um carro que é agente secreto.

Uma coisa boa é que não precisa ter visto o Carros 1 (eu já esqueci quase tudo) para entender esse.

Outro filme que eu vi foi o "Transformers 3".

Blargh! Esse foi muito ruim.

Ele é compriiiiiiiiiiiido demais. Só a última luta dura mais de meia hora. E já se sabe quem vai ganhar, então a gente fica um tempão olhando uma coisa que nem precisa ver.

Fiquei bem arrependido de ver esse.

O último filme que eu vi foi o melhor dos três: "Kung Fu Panda 2".

Ele é melhor que o 1. 

Dessa vez o Po enfrenta um vilão bem diferente: um pavão! Eu achei isso legal porque os vilões sempre são feios e pretos, mas esse é branco e lindão.

Esse Po não é muito bom de lutas, mas ele tem uma arma especial: canhões!

E nesse filme a gente fica sabendo o que aconteceu com os pais do Po, porque aquele ganso não é o pai dele, quer dizer, é claro que é o pai, só que não é o pai de verdade, quer dizer, é pai de verdade só que não é o primeiro, é o segundo. Bom, fiz a maior confusão, mas vendo o filme dá para entender direito. E no fim tem gente que até chora.

Foram esses os três filmes que eu vi. Eu disse que eles são sete porque o Carros é 2, o Kung Fu Panda também e o Transformers é 3, e 2+2+3 dá sete.

Tchau!   

Por Lelê às 19h04

31/05/2011

Rio é legal!

Só ontem eu vi um filme chamado Rio, que está passando aí na Terra. E eu vi aqui em Trafalmador, que é o planeta onde eu estava.

É claro que era uma cópia pirata. Eu comprei de um camelô. Quer dizer, de um camelo. É que aqui os camelos falam que nem gente.

Bom, o filme Rio é bem colorido e a história é bem legal, cheia de lutas engraçadas.

A história é que tem uma arara azul, quer dizer, um arara azul, que ele é menino, que acaba indo parar nos Estados Unidos e não consegue voar. Aí ela volta para o Brasil e conhece uma arara azul (uma mesmo, porque é uma pássara). Só que eles são raptados. E acabam no desfile das escolas de samba.

Ah, eu não vou contar a história. Só vou dizer que vale a pena ver. E deve ser melhor em 3D. Eu vi só em 2D mesmo, que o camelo camelô de Trafalmador só tinha cópia pirata em 2D.

Tchau!

Por Lelê às 08h38

22/05/2011

Livro novo do meu tio!

 

O meu tio e um amigo dele chamado Marcus (com u mesmo) lançaram um livro legal. A capa é essa aí de cima. Os desenhos são lindões. Quem fez foi uma moça chamada Marilia Pirillo.

O livro conta a história do Patinho Feio, só que, em vez de ter aquele final que todo mundo conhece (quando ele vira cisne), tem um monte de finais para a gente escolher. E em cada um deles o Patinho Feio vira um bicho diferente (mas todos são bichos que nascem em ovo).

Tem final em que ele vira pinguim, noutro vira gavião, jacaré, dinossauro e mais um monte.

Vou colocar um dos finais aqui, ó:

Tchau!

Por Lelê às 19h57

08/05/2011

A primeira viagem de avião da Catarina

Eu estou no espaço numa missão secreta (é secreta, mas depois eu vou contar tudo para vocês).

De vez em quando, quando a gente para num planeta que tem lan house, eu entro no computador e dou uma olhada na minha família pelo Google Universe (é que nem o Googhle Earth, só que muito mais legal. Tem até raio-x).

Dessa vez eu vi que a Catarina viajou de avião. Foi a primeira vez que ela fez isso, e a Cacá nem sentiu medo.

Ela, a minha mãe e o meu pai pegaram um avião no aeroporto de Cumbica, que é um aeroporto bem grande e ir até lá custa um dinheirão de táxi. Às vezes é até mais caro que a passagem de avião.

A Catarina não ficou nem um pouco com medo. Ela achou meio esquisito quando o avião acelerou para decolar, mas não chorou. E logo depois ela estava assim:

Eles foram para uma cidade chamada Buenos Aires. Eu também já fui para lá. Eu pensava que a cidade tinha este nome por causa de uns bois que voavam nos ares de lá, mas não vi nenhum.  

Lá em Buenos Aires, a coisa mais bonita que a Catarina viu não foi um jardim nem uma estátua. Foi isso aqui:

Ela também passeou num ônibus de dois andares e sem capota, e achou bem divertido. Durante o passeio, tinha uns fones de ouvido que explicavam as coisas. Só que ela ouviu em espanhol e aí não entendeu nada.

Num lugar chamado Caminito, ela gostou bastante de correr atrás das pombas, que nem nessa foto aqui embaixo.

No hotel, a parte que ela mais gostou foi o bidê. Ela disse que é um lugar muito bom para ler, e ela coube direitinho.

Depois de passear bastante, eles voltaram para o Brasil, e a Catarina não teve medo de novo (o meu tio Torero tem medo de avião e é bem mais velho que a Catarina).

Olha só a cara de tranquilo que ela fez na viagem de volta:

E quando eles pousaram, sabem o que a Cacá falou?

Ela falou "Vamos de novo?"

Por Lelê às 21h58

05/04/2011

Livro novo!

Saiu o meu livro novo! É o meu terceiro!

Esse aí é sobre a Catarina, a minha irmã. Ele conta desde a primeira vez que eu vi ela, que foi quando ela ainda estava na barriga da minha mãe e parecia um E.T. com aquele cabeção, até quando ela começa a falar.

Tomara que vocês gostem.

Por Lelê às 08h17

Menino, de 08 a 12 anos Lelê é o sobrinho fictício do escritor José Roberto Torero.

Leia mais
© 1996-2010 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host